A lição e o exemplo de #Tiradentes

O dia 21 de abril é marcado pelo feriado em homenagem à Joaquim José da Silva Xavier, que ficou popularmente conhecido como Tiradentes. A memória do nosso herói da pátria deve ser lembrada pela sua morte na defesa de um país mais justo e democrático, bem como, a defesa da República que tanto era almejada. Joaquim José da Silva Xavier nasceu na Vila de São José Del Rei, onde hoje é a cidade de Tiradentes, em Minas Gerais, no ano de 1746. Possuía diversas profissões: dentista, tropeiro, minerador, comerciante, militar.

Inicialmente, Tiradentes era tido como herói republicano, combatido pelos monarquistas. Vivia em um Brasil Império marcado pela dominação da imposição das leis e regras de Portugal e da Europa, ou seja, era um pátrio que lutava contra os absurdos imposto pela Coroa portuguesa como a execução da derrama e que foi traído e único inconfidente morto pelo governo por articular e participar da chamada Inconfidência Mineira, no ano de 1789.

Ele se torna um herói no contexto da República no Brasil tendo uma imagem defensor dos fracos e oprimidos, dono de um caráter irretocável, sendo por isso tomado como modelo por suas ações. A lição mais preciosa que sua história nos deixa é a luta pela justiça, pela igualdade de direitos e principalmente, da defesa do povo brasileiro. Não podemos deixar que os mais vulneráveis paguem mais impostos, assim como Tiradentes, devemos lutar por uma reforma tributária igualitária. Devemos defender a democracia, para que a construção de políticas públicas sejam cada vez mais voltadas para a defesa da população mais desprovida de vantagens. Assim como nosso herói republicano, devemos lutar pelo fim dos privilégios daqueles que ocupam o alto escalão da sociedade, assim como Tiradentes, devemos lutar pelo fim do foro privilegiado, pela prisão em 2º instância e tantas outras prerrogativas que demonstram nossa infinita desigualdade social.

Sua luta, sua memória e sua história deve servir de exemplo para que nós brasileiros, continuemos a lutar e defender nossa democracia republicana acima de qualquer poder. Jamais deixaremos sua morte ser em vão e assim como prescrito no parágrafo 1º, do artigo 1º da nossa Constituição de 88, “todo poder emana do povo” e é esse poder que devemos utilizar e defender para a construção de um país mais digno.

Por Celso Maldaner

Deputado federal – MDB/SC

Compartilhe com amigos

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Newsletter

Newsletter

Vídeos