Maldaner pede votação da PEC do foro privilegiado

“É um absurdo que mais de 50 mil pessoas tenham o foro privilegiado, que não possam ser julgadas e condenadas por seus crimes como cidadãos comuns. A impunidade alimenta a corrupção, que desvia o dinheiro dos contribuintes e atravanca o desenvolvimento social e econômico do país”.

Foi com essas palavras que o deputado federal Celso Maldaner apresentou nesta terça-feira (14), em Brasília, um requerimento para inclusão na ordem do dia da PEC 333/17, que trata do FIM DO FORO PRIVILEGIADO.

Para o deputado, o foro privilegiado tem sido um instrumento de impunidade, pois as autoridades que cometem crimes conseguem retardar seus julgamentos nas cortes superiores. “Retardam a decisão judicial até a prescrição dos crimes e ficam impunes. Isso é um verdadeiro escárnio”, defende.

Maldaner é autor da PEC 247/16 que foi apensada 333, que restringe o privilégio para cinco autoridades: o presidente da República e o vice, mais os presidentes da Câmara dos Deputados, do Senado e do Supremo Tribunal Federal, aprovada em Comissão Especial à qual fez parte.

“A sociedade nos pede isso. Estejamos à altura das nossas responsabilidades com o futuro da nação. A sociedade quer um basta nos privilégios e na corrupção”, defende o deputado.

Para Maldaner, Ulysses Guimarães resumiu um sentimento nacional que ainda não foi atendido: “A Nação quer mudar; a nação deve mudar; a nação vai mudar!”. Chegou a hora de mudar!

Na foto, ele com a deputada Adriana Ventura, presidente da Frente Ética Contra Corrupção, apresentando o requerimento.

Compartilhe com amigos

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Newsletter

Newsletter

Vídeos